A mais brasileira das mesas, a culinária paraense une o exotismo de seus pratos ao requinte de uma cozinha sofisticada, herança da diversidade cultural dos índios amazônicos. O português e o negro deixaram suas marcas em alguns dos pratos hoje típicos, mas a base é sem dúvida nenhuma indígena, como em nenhuma outra região do País.

Para se ter uma idéia do grau de sofisticação culinária das populações indígenas, basta observar a verdadeira alquimia utilizada na produção de seus ingredientes. Um dos elementos mais importantes é o tucupi, um poderoso veneno extraído da mandioca que, com uma boa fervura, transforma-se em delicioso e inocente tempero. O tucupi é a base do mais famoso prato da cozinha paraense: o pato no tucupi, uma delícia hoje reputada internacionalmente.

Com o tucupi também se faz o tacacá, um prato essencialmente indígena, que ainda hoje é degustado da mesma maneira como faziam nossos ancestrais amazônicos. Numa cuia, mistura-se o caldo amarelo do tucupi com a goma cozida da mandioca, acrescentando-se camarões secos e folhas de jambu, uma verdura que deixa nos lábios um amortecimento sensual e agradável. É mais do que uma refeição. O hábito do tacacá faz parte de um ritual seguido quase que religiosamente nas tardes quentes, tomado nas diversas tacacazeiras que se espalham pelas ruas da cidade.

Outro prato renomado é a maniçoba, feito com folhas moídas de mandioca - a maniva - que é cozida durante vários dias e depois acrescida de carnes diversas, como uma feijoada selvagem. Sem dúvida nenhuma é um prato com sabor único e sucesso garantido nos lares paraenses.

Além disso, um estado Banhado pelo Atlântico e cortado pela maior bacia hidrográfica do mundo, o Pará é rico na quantidade e qualidade de seus pescados. O peixe é prato constante no cardápio regional, preparado nas mais diversas formas. Entre as espécies mais valorizadas pelo paladar "papa-chibé" estão o pirarucu, uma espécie de bacalhau amazônico, importantíssimo na dieta popular, o tucunaré, o tambaqui, o filhote, o tamuatá e a pescada amarela.

O caranguejo é outra verdadeira mania paraense. Degustado de várias formas, com especial predileção pelo casquinho de caranguejo, uma entrada obrigatória em qualquer refeição mais típica.

A paraense é certamente uma cozinha encantadora até para o mais exigente gourmet.
Av. Boulevard Castilho França, Estação das Docas, Galpão 2, Loja 4
Campina - Belém - PA
+55.91.3212-5588 (Restaurante)
+55.91.3242-4222 (Administração)